quinta-feira, 29 de novembro de 2007

I Can’t Stop Loving You - 8 Parte


A sensação não era nada confortável. Nunca havia sentido tamanha dor de cabeça. Parecia ter sido atropelado por um caminhão (apesar de nunca ter sentido na pele tamanha experiência, calculo que seja qualquer coisa parecida), aos poucos fui sentindo meu corpo voltar, mas além da cabeça que doia pra caramba, havia outra coisa fora da ordem. Meu corpo estava diferente. Senti uma série de sacolejos, uma vibração intensa, uma estranheza toda particular. Resolvi só então abrir os olhos. Que situação era aquela? Onde eu estava? Havia uma escuridão tão ou mais sufocante que, que a de um túnel. Um calor digno do deserto do Saara, e um aperto agonizante que era de enlouquecer os mais desavisados.
-Mas que merda é essa?
Finalmente percebi que meus pé e mãos estavam amarrados.
-Demorou pra você acordar garoto!
Era a voz do Borracheiro Bonachão rajando ao meu lado.
-Que lugar é esse?
-Não sou lá um especialista em porta-malas de automóveis, mas acredito que pelo aperto que estou sentindo e pelo sacolejo insistente que esses malditos amortecedores estão provocando se trata de um carro da Fiat, não resta a menor dúvida.
-Carro?
-É meu garoto. Faz mais de meia hora que estamos rodando dentro desses aperto!
E o calor que fazia dentro daquele maldito porta-malas? Nem na sauna do clube eu havia sentido tamanho calor. A impressão que se tinha era que a qualquer momento o pouco ar que havia dentro daquele cubículo ia se acabar.
-Se prepara ai garoto. Acho que o pior está por vir!
-Como assim?
-Não sentiu o cheiro de poeira não?
Não queria admitir, mas o Borracha tinha razão. Um forte cheiro de poeira invadia o porta-malas firme e forte.
-Estrada de terra garoto. Agora sim estamos ferrados de verdade.

Continua...

3 comentários:

Chuvinha disse...

Agora você está f* !!! kkkkk
Bom fim de semana!
http://blairponjinha.blog.uol.com.br/

BluesWriter disse...

rssssssssss.....
abraço

Terrell disse...

Cool!