terça-feira, 20 de novembro de 2007

I Can’t Stop Loving You - 4 Parte


Ao sentir o carro pender para a direita tive a ligeira impressão que era hora de colocar um ponto final naquela palhaçada toda. Surtei de maneira que só faltava soltar fogo pelas ventas. Estava completamente fora de mim, onde já se viu uma Zé Roela qualquer desprovida de uma mínima fatia de cérebro sequer dar pipocos nos meus pneus zero quilômetro.
Quando desci do carro nem ao menos senti as fortes gotas de chuva que desciam dos céus aos montes. Para os mais desatentos observadores, com certeza eu mais parecia um fiél retrato de uma mamute desengonçado caminhando em direção da Loirinha Pistoleira. A situação definitivamente havia se invertido. Quem ria de maneira divertida e extrovertida agora era ela. E o que é pior, ela sorria e conversava no maldito aparelho celular como se nada tivesse acontecido.
-Nada não Telminha, eu só acertei dois tirinho nos pneu de um indiota qualquer que tava me torrano as paciência no trânsito!
Não pensei duas vezes. Ao chegar do lado daquele projeto de ser humano fiz questão de arrancar-lhe o aparelho celular do ouvido e arremessá-lo com toda a força que me é peculiar no meio do asfalto. Só ao vê-lo transformar-se em mil pedacinhos é que me dei por satisfeito.
Agora quem havia perdido as estribeiras era o pequeno projeto de Loira que imediatamente desceu das tamancas e tentou acompanhar-me até meu carro, gritando tão ou mais agudo que a porra do Chitãozinho e Xororó.
-Escuti aqui seu...seu...seu...
Virei-me em sua direção e dei de cara com ela e sua maquiagem que conforme a chuva castigava decompunha em alta velocidade.
-Sabe quanto me custô aquele celulá?!
-Não sei, e não me interessa!
-Mais de Hum Miliquinhentos reais!
Entrei dentro do carro, bati a porta em sua cara, e antes de sair pela rodovia completamente inclinado à direita, fiz questão de encará-la mais uma vez.
-Manda pro conserto que eu pago.....

Continua...

5 comentários:

Anônimo disse...

Puta merda! Que foto, rapaz!!

Chuvinha disse...

Como voce e bonzinho,hein?

marcos pardim disse...

sei não, blues, mas esse tipo de fêmea, em quase 100% dos casos, costuma ser do tipo raimunda, hein (rss...) depois que a gente presta bem atenção (rss...) donde tô só imaginando onde é que isso ainda vai dar... 1 abraço

Anna disse...

Bem ao teu estilo Blues Writer: Envolvente,despojado e hilário! Parabéns.

Rocio disse...

É uma pena que as pessoas não apreciam realmente essas coisas, eu acho que é importante que alguém tem a sensibilidade artística de escrever muito sobre a mesma canção como geralmente acontece nas salas de aulas de música
ou compositores fazer.